Início Facebook Site E-mail

quinta-feira, 25 de setembro de 2014

DERMABLEND VICHY



Tem muita gente me perguntando, então estou escrevendo um post sobre minha base de uso diário, que  é a Dermablend da Vichy Sand35...

 Na verdade eu altero duas bases em minha vida: quando eu desejo uma cobertura mais fina e aveludada, uso a Velvet da Make Up Forever, porém quando desejo uma pele com zero defeitos, eu uso a Dermablend, porque ela realmente me fornece uma cobertura extrema ao mesmo tempo que apaga todos os ‘defeitos’ da minha pele e isso instantaneamente e sem fechar os poros ou ressecar a pele! Bom demais para ser verdade mas é assim mesmo.

Se eu tivesse que escolher entre as duas, eu ficaria com a Dermablend, tanto pelo efeito de cobertura garantido e duradouro quanto por causa do preço também. Além disso, é garantida e comercializada pela Vichy, uma marca de confiança mundialmente conhecida.



 O produto foi criado por um dermatologista americano, o Dr N. Roberts Craigs, para oferecer mais conforto e qualidade de vida à sua esposa que era portadora de vitiligo facial.




Em 2003, o produto foi adquirido pela Vichy que resolveu coloca-lo no mercado e oferecer assim, aos consumidores, um produto com cobertura de qualidade profissional e que é indicado para todos os tipos de pele, inclusive as mais sensíveis. O melhor eu ainda não falei: além de ser uma base hidratante, ela dura 16 horas e resiste à transpiração e ao suor. Vale muito a pena, o grande problema porém é encontrar no Brasil!



quinta-feira, 18 de setembro de 2014

BREVE HISTÓRIA DO CINEMA INDIANO


Você sabia que a Ìndia produz mais filmes que Hollywood e é o primeiro produtor de cinema do mundo? Os filmes indianos podem durar até mais de 3 horas e possuem pausas para permitir aos espectadores beber ou comer algo. As cenas cantadas são parte importante dos filmes e as canções são confiadas a produtores famosos que as lançam cerca de 2 meses antes da estréia para que o publico se familiarize com a melodia. Frequentemente os filmes possuem 6 canções intercaladas entre 3 horas de filme. Geralmente estas cenas são excelentes, pois são muito bem coreografadas e filmadas em lugares lindos. Quase todos os filmes indianos são rodados em Mumbai, em língua Hindi e fazem parte da famosa indústria indiana denominada Bollywood.

Se o nascimento do cinema indiano coincidiu com uma grande vontade de se separar da influencia britânica e das demais correntes estrangeiras, através da criação de um cinema próprio e típico, com seus próprios códigos morais, sociais e uma forte identidade cultural, hoje Bollywood vive uma situação paradoxal pois tornou-se prisioneira da influencia ocidental que a obriga a se adaptar à mundialização para poder se impor como concorrente de Hollywood.



BREVE HISTÓRICO DO CINEMA INDIANO

O primeiro filme indiano, mudo, intitulado Raja Harishchandra, foi lançado em 1913 e o primeiro filme sonoro, ALAM ARA, foi lançado em 1931.

Em 1940 e 1950, a inspiração do cinema indiano era, sobretudo, a história indiana, com seus príncipes e imperadores. O país lançou filmes com grandes orçamentos, decorações e ambientações suntuosas, figurinos magníficos, músicas inesquecíveis. O enredo misturava fatos e mitos. Também houve a era dos filmes de divertimento que também eram visualmente lindos e permitiam aos indianos esquecer a guerra e a luta pela independência. Os principais atores desta época foram: Dev Anand, Dilip Kumar, Madhubala, Nargis e  Raj Kapoor.

Nos anos 1950 e 1960, os filmes retrataram o mundo dos pobres e dos marginais, veiculando mensagens sociais e políticas.

Nos anos 60 e 70, os melodramas românticos e de ação tiveram como seus representantes principais Rajesh Khanna e  Dharmendra.

Nos anos 70, a Índia viveu transformações econômicas, politicas e sociais. A guerra contra o Paquistão, a criação do Bangladesh, o estado de urgência que fora decretado pelo governo, a supressão das liberdades individuais, a inflação e o aumento do crime organizado e da pobreza marcaram esta época.

O cinema criou um novo gênero que passou a refletir a agressividade e a cólera desta época. Os temas dos filmes eram a vingança, a violência e um novo tipo de anti-herói nasceu, representando o ‘angry young man’, o jovem rebelde, que passou a exibir sua força física e seu lado obscuro, vivido pelo ator Amitabh Bachcan.

Nos anos 90, Bollywood foi tocado pela mundialização. Numerosos cineastas e atores da ‘new generation’ tentaram criar filmes com uma melhor qualidade. Os filmes passam a evocar um mundo moderno, a sociedade de consumo, mas também as novas classes emergentes, conservando entretanto ainda os temas tradicionais como o casamento arranjado ou a sociedade maternalista.



Os posters e placas passaram a ser feitos então com computadores, muito menos elaborados, menos sofisticados e artísticos que os anteriores (feitos à mão) e passaram a refletir a modernidade da Índia.




Os atores

Algumas estrelas são consideradas como verdadeiros deuses vivos. Podemos citar Amitabh Bachchan, que já atuou em mais de 150 filmes .



 Bollywood atualmente
O tema central dos filmes indianos é a paixão. A única função da intriga é a de fornecer um suporte, um lugar onde a expressão dos sentimentos diversos possa ocorrer com exacerbação. Assim Nasreen Munni Kabir definiu o cinema atual indiano em (Le Cinéma indien - L'Equerre, Centre Georges Pompidou - 1983). 
As proporções excessivas da paixão desenfreada são visíveis no cinema indiano atual. Cerca de cinco milhares de pessoas vão anualmente ao cinema e cerca de um milhão de pessoas trabalham para o cinema indiano. O público transforma os atores e atrizes em mega estrelas. Mas nem tudo são rosas na indústria cinematográfica indiana. Raros são os filmes que realmente trazem lucro (5% en 1997 por exemplo) : os produtores perdem mais dinheiro do que ganham!





Talvez o público comece a se cansar dos estereótipos, das velhas receitas que sempre vêm sendo repetidos. A Índia começa a se abrir para uma evolução dos hábitos de consumo da imagem: a televisão, o vídeo,os canais satélite começam a roubar o território até então reservado ao cinema. Há também a concorrência do cinema estrangeiro, sobretudo norte americano, ainda que alguns cineastas tentem novas experiências com a finalidade de reconquistar o público...

Inversamente, o cinema indiano lança cada vez mais novas incursões incisivas no Ocidente e isto começou com o fenômeno da moda sobretudo feminina (tecidos, roupas, mehndi...) e referencias musicais. Alguns filmes e realizadores indianos são cada vez mais reconhecidos no ocidente: : Mira Nair recebeu o Leão de Ouro em Veneza pelo filme intitulado ‘Le Mariage des mousson’s, seu ‘Salaam Bombay’ também foi recompensado em Cannes e seu ‘Kama Sutra’ foi um sucesso comercial.


‘Devdas’, de Sanjay Leela Bhansali, esteve entre os filmes indicados em Cannes e proporcionou grandes lucros a seus produtores. A Twentieth Century Fox também produziu um filme em hindi  (‘El Hasina Thi)’... assim como vários outros filmes indianos foram indicados ao Oscar de Cannes.